quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Escrevo para me contradizer a mim mesma, ou talvez não. Escrevo aquilo que me vai na alma e não aquilo que vem da cabeça. Sei que é errado mas não cabe a mim parar de o fazer, o coração persegue, limita-me de um novo vocábulo. Acaba por sair o que não deve, acabo por entrar no ponto alto da palavra que no meio de tantas outras erradas acaba por sobressair.
É somente o oculto, aquilo que mais ninguém vê, imagino mas acabo por desistir, as certezas fogem-me e o que para mim são linhas e linhas de perfeição, acabam por ser apenas linhas vazias. Só mais umas no meio de um livro pautado, sem lápis nem borracha.

E no final, acabo por fechar o estojo, rasgar a folha e encontrar-me com mais uma página da minha vida, uma página somente vazia.

(obrigada, melhor amiga)

2 comentários:

ângela cláudia disse...

e de que nos vale pensar na opinião dos outros ? de que vale desistir de escrever o que queremos só por os outros não verem o mesmo que nós ? não vale de nada! que se lixem todos os outros e que Deus nos de força para rebentar com tudo sempre * e já agora, obrigada de? ♥

(- aquela minha mãe, é como a minha mãe falsa, não sei se conheces * muahah )

ângela cláudia disse...

estás a aprender a lição *